Viver num mundo de estados-nação como cidadão insatisfeito e ameaçado à procura de uma saída. O Leviatã ferido e seus antagonistas nos espaços autónomos alternativos

Raina Zimmering

Resumo


O estado-nação foi sendo o produto das diferentes fases do desenvolvimento capitalista, que protegeu. Actualmente, as desigualdades sociais cresceram em todo o mundo, dentro e entre estados. O novo turbo-capitalismo e a retirada para as fronteiras nacionais não são remédio para as consequências negativas do capitalismo. Resurgiram teorias sobre como organizar a sociedade não pelos estados, mas pela comunidade e, assim, encontrar uma saída para os dilemas de nosso tempo. No artigo são apresentados exemplos práticos de formas sociais de organização não estatais em espaços alternativos autónomos, como as comunidades zapatistas. Este artigo foi produzido com base na comunicação para a conferência "Living in a world of nation states" da World Social Science and Humanities Network, realizada a 6-7 de Dezembro de 2019, no ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa, Portugal.

Palavras-chave


Estado-nação. Espaços alternativos autónomos. Movimentos sociais. Autodeterminação. Movimento Zapatista. México.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Diálogos Possíveis. ISSN impresso 1677-7603
ISSN eletrônico 2447-9047