A mulher jovem no cárcere: vulnerabilidades interpaíses

Candido Alberto Gomes, Geraldo Caliman, Azucena Ochoa Cervantes

Resumo


Este trabalho compara a situação prisional da mulher no México, Argentina, Brasil e Chile. Teoricamente se adota a posição da multidimensionalidade da estratificação social, superpondo-se situações vulneráveis de classe, grupo de status, partido, idade e gênero. Aumenta o número de internas, em prisões androcêntricas, com o agravamento do rigor para o tráfico de drogas.

Palavras-chave


Direitos humanos. Mulher. Prisão; Gênero. Educação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Diálogos Possíveis. ISSN impresso 1677-7603
ISSN eletrônico 2447-9047